Opinião

No mês de Janeiro, surgiu uma polémica nas redes sociais sobre uma campanha publicitária da Samsung, onde vários bloggers de moda descreveram os seus desejos para 2013. Eu que gosto destas coisas de moda fui perceber o que se passou, afinal uma das meninas desejava apenas “ter aquelas malas clássicas pretas, que ficam bem com tudo”. Contudo, não se trata de uma mala vulgar, mas sim uma Chanel.

2

De acordo com as críticas, o tom, a linguagem, o discurso vazio e os desejos destes especialistas de moda estão amplamente desadequados da realidade e dos problemas que os consumidores estão a passar em plena crise económica do país. Eu que sou economista, e uma principiante no mundo dos blogs de moda, concordo com tudo o que foi referido mas, no entanto, apresento uma ressalva.

Efectivamente a maneira de falar da blogger, cujas críticas incidiram com maior profundidade, está associada a uma certa futilidade, a um tom vulgarmente designado “à tia”. Este foi o aspecto que me chamou mais atenção do que propriamente o desejo per si. Contudo, esta campanha publicitária está inserida num determinado contexto que talvez não tenha sido bem entendido. É uma campanha protagonizada por bloggers de moda e destina-se a um público específico, todos os que seguem estes espaços de comunicação.

É de notar que nem tudo o que se lê nos blogs é fruto da espontaneidade de quem os escreve, e nem sempre está isento de interesse financeiro. Cada vez mais as marcas utilizam os bloggers como mensageiros dos seus produtos. Outro aspecto a destacar, é o facto de que cada um à sua maneira cria pequenos escapes para fugir às obrigações e problemas do dia-a-dia. Muitos, tal como eu, criam blogs, outros procuram e acompanham blogs e outros arranjam as mais variadas e criativas formas de entretimento.

As e os bloggers de moda, em particular, pintam uma realidade à sua volta muito bonita e de certa maneira invejável. Todos são bem sucedidos, estão sempre a viajar, são perfeitos e felizes. Por momentos, todos gostaríamos de viver aquele mundo que, talvez, não seja tão belo quanto parece. Ficaria bem à Samsung desenvolver uma campanha em que o maior desejo fosse o fim da crise para sempre? Sim, ficaria mas, na minha opinião, seria relembrar uma vez mais os problemas por os quais todos passamos. Ao invés, a marca preferiu recordar que sonhar continua a ser um direito de todos e, para já, não é aplicada nenhuma taxa de imposto.

Quanto à blogger e à própria Samsung, demonstro a minha solidariedade pela infelicidade do momento. É com os pequenos erros que aprendemos e melhores dias virão.

Anúncios

E quem espera…

Ei-las diante dos meus e dos vossos lindos olhinhos: as sabrinas, as quais andei a suspirar a estação inteira.

E, porque quem espera sempre alcança, voltaram para as prateleiras da Primark com a chegada da nova colecção. Simples, cómodas e bonitas com um toque especial – salto um pouco invulgar para sabrinas e uma barra dourada que confere sofisticação (pelo menos esta é a minha opinião). E já que nos últimos dias o sol resolveu finalmente aparecer, aproveitei para desfilar a minha recente aquisição.

1